quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Para os olhos...


Pablo Picasso
(Cubismo sintético, última fase do cubismo)

Cubismo Sintético - (1911) reagindo à excessiva fragmentação dos objetos e à destruição de sua estrutura. Basicamente, essa tendência procurou tornar as figuras novamente reconhecíveis. Também chamado de Colagem porque introduz letras, palavras, números, pedaços de madeira, vidro, metal e até objetos inteiros nas pinturas. Essa inovação pode ser explicada pela intenção do artistas em criar efeitos plásticos e de ultrapassar os limites das sensações visuais que a pintura sugere, despertando também no observador as sensações táteis.

[http://vangogh2009.webnode.com/news/cubismo/]


(Apesar de gostar muito de pinturas - quadros/obras, acho que nunca postei nenhuma no blog. Então, talvez, seja a primeira do blog, e uma das minhas favoritas.)

sábado, 3 de dezembro de 2011

O murchar dos sentimentos


Arrumei os amores, é a primeira regra da vida – saber arquivá-los, entendê-los, contá-los, esquecê-los. Mas ninguém nos diz como se sobrevive ao murchar de um sentimento que não murcha. A amizade só se perde por traição – como a pátria. Num campo de batalha, num terreno de operações. Não há explicações para o desaparecimento do desejo, última e única lição do mais extraordinário amor. Mas quando o amor nasce protegido da erosão do corpo, apenas perfume, contorno, coreografado em redor dos arco-íris dessa animada esperança a que chamamos alma – porque se esfuma? Como é que, de um dia para o outro, a tua voz deixou de me procurar, e eu deixei que a minha vida dispensasse o espelho da tua?



Inês Pedrosa

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

-

Ah, declarações soltas na madrugada.
Toques singelos. Sentimentos.
Momentos, recordações.
Afagos, e uma certa paz,
e talvez
amor.

Tantas palavras ditas,
pensadas,
da boca pra fora.


Amanhã, mais nada.

-



Os momentos e as recordações ficaram,
mesmo agora querendo esquecer
tudo que a faz lembrar você.


segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Gilberto Gil - Deixar você


Deixar você
Ir
Não vai ser bom
Não vai ser
Bom pra você
Nem melhor pra mim

Pensar que é
Deixar de ver
E acabou
Vai acabar muito pior

Pra que mentir
E
Fingir que o horizonte
Termina ali defronte
E a ponte acaba aqui?
Vamos seguir
Reinventar o espaço
Juntos manter o passo
Não ter cansaço
Não crer no fim

O fim do amor
Oh, não
Alguma dor
Talvez sim
Que a luz nasce na escuridão

Da categoria "Breguinha" :p

terça-feira, 8 de novembro de 2011

-

A vontade de gritar é tanta, que não consegue. Oscila entre lágrimas e falsas manifestações de tranquilidade. Distrai a si e aos outros/as com piadas ruins e conversas fiadas. Tudo para não pensar. Queria ter alguém para compartilhar suas aflições, mesmo que pareçam tolas. Porém, ao mesmo tempo, não quer que ninguém se envolva. Sente muito. Até com o que não devia. Queria não sentir, não dessa forma. Nunca desejou tanto "ser forte", e nunca se viu tão fraca e desamparada.
E jamais havia pensado que alguém fosse escrever isso como post. :p



domingo, 23 de outubro de 2011

Morningside - Sara Bareilles


I'm not scared of you now
Or so I say
There's no reason to run
Although I may
I'm not as sure as I seem
This much I know
What does it mean when you leave and I follow?
[...]

Keep my distance I tried
No use, no
But no matter the miles
I'm back to you.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

-

Rá! Volto aqui, não, não para escrever o quanto estou triste, o quanto queria que isso não tivesse chegado ao fim, mas que fim? - lá no fundo me pergunto. Não teve começo. E sim, "tentativas de inícios", de bons inícios, mas que foram interrompidas antes mesmo que começassem, de fato (talvez por não querer que acabassem - receios). Iniciar algo é arriscar-se a ter que "enfrentar" um dia o fim , e ter um "fardo" de carregar tantas lembranças, planos e sentimentos deixados para todo o tempo, em um meio. Não digo que seja de todo o mal, mas não é assim tão fácil., fica uma dorzinha, um vazio - não se sabe o tamanho dele. Mas passa, e fica o que foi bom. E foi muito bom.

E assim, chego ao fim(?) de uma história não iniciada, mas pensada.


[Sade embalando esta noite]

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Paulinho da Viola - Bebadosamba


Um mestre do verso, de olhar destemido,
disse uma vez, com certa ironia:
"Se lágrima fosse de pedra
eu choraria"
Mas eu, Boca, como sempre perdido
Bêbado de sambas e tantos sonhos
Choro a lágrima comum,
Que todos choram
Embora não tenha, nessas horas,
Saudade do passado, remorso
Ou mágoas menores
Meu choro, Boca,
Dolente, por questão de estilo,
É chula quase raiada
Solo espontâneo e rude
De um samba nunca terminado
Um rio de murmúrios da memória
De meus olhos, e quando aflora
Serve, antes de tudo,
Para aliviar o peso das palavras
Que ninguém é de pedra
[...]

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Janis Joplin - Trust me


[...]
Oh, my love is like a seed, baby, just needs time to grow,
It's growing stronger day by day,
That's the price that we both got to pay.

I gotta know, know that I'm ready, oh ready to settle down,
'Cause I think too much of your loving, baby,
Yeah, I don't wanna mess your life around!
[...]
You shouldn't mind paying the price, any price, any price.
[...]
Trust in me baby, trust in me baby,
Trust in my love, in my heart.
Keep the faith, baby, keep the faith in me, dear, in my arms, in my love.
Don't turn your face away from me, dear, oh you leave a lostgirl,
Oh, don't turn your love away, no no no no no no no,
You gotta believe in me, baby, yeah, trust me dear, oh...


Nossa, já tinha um bom tempo que não escutava Janis,
mas hoje me veio uma vontade de escutá-la.
Gosto do jeito como sua voz expressa a letra da música,
emoções, sensações e muitos sentimentos.

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Céu - Amore


...
I got this feeling burning inside of me
And I'm just tired to be quiet too
So all I want is to feel free

I've been trying to say all this time
It's just there by you and me
Stop the game
Let's burn in our flame
Ooh baby... ooh baby...

Everytime I see you mi amore
My heart beat so strong I don't feel lonely
Dance for me all alone amore
Ooh baby... ooh baby...

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Desa-neios!

Aos/às leitores que pouco se expressam,
visitam este lugar estranho,
cheio de enfeites e disfarces,
cheio cheio cheio (de nada),
a minha sincera admiração.


Ora! quanta besteira cabe numa pessoa?
Por um minuto, pensei em escrever a você.
escrevi, mas não enviei.

Falta-me coragem,
ânimo,
e um tanto (ou pouco) de outras coisas.

Não sei porque é tão difícil escrever algo que...
sinto,
neste momento.
Receio, penso eu.

Sabe, é muita coisa,
agora o que quero e preciso...
[chorei.



[De repente, vários devaneios/desabafos tomaram conta de mim, e postei. Não há tanta conexão entre elas, mas há todo um sentido. É, estou sentindo e muito.]


Ao som de Caetano. Eeeláiá.

-

Desde o início,
foi-se o meio,
e talvez o início do fim.

Não se sabe ao certo.
Não sei ao certo.
Tenho uma confusão
dentro de mim.

Nora Jones - What m I to you?


What am I to you?
Tell me, darlin', true
To me you are the sea
Vast as you can be
And deepest shade of blue
[...]
I've opened up my heart
I never want to part
I'm givin' you the ball

Nossa, muito tempo que não escutava Nora Jones...
adoro suas músicas!

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Caetano Veloso - Sonhos


Mas não tem revolta não
Eu só quero que você se encontre
Saudade até que é bom
É melhor que caminhar vazio
A esperança é um dom
Que eu tenho em mim, eu tenho sim
Não tem desespero não
Você me ensinou milhões de coisas
Tenho um sonho em minhas mãos
Amanhã será um novo dia
Certamente eu vou ser mais feliz.

sábado, 17 de setembro de 2011

Geraldo Azevedo - Tanto querer


Quando a gente se encontra,
cresce no peito um gosto de vida,
um sorriso, tanto querer.
É quando a luz da saudade acende de um jeito
Se faz tanto tempo
a gente não quer nem saber
Agora será como sempre,
eterno, presente
Certeza que mesmo distante,
em nós resistiu...


Que show maravilhoso!
[aqui estou,
pensamento nas nuvens,
e muitos suspiros...]

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

[Luto] Alencar sete cordas


Hoje o dia amanheceu bem mais triste, acabo de saber que Alencar Sete Cordas, grande músico, referência e um dos fundadores do Clube Do Choro de Brasília - não está mais entre nós.
Por hoje, não teremos o Choro tocado,
apenas um vazio, e muitas lágrimas!
Uma grande perda!

Descanse em paz!

[Alencar Sete Cordas - O velório será dia 16/09 (sexta) a partir das 05h na capela 6 do Campo da Esperança e o enterro será às 11h.]

domingo, 11 de setembro de 2011

11 de setembro...


Para que ninguém se esqueça do 11 de setembro... aquele de 1973, no Chile.
Viva a luta dos/as trabalhadores!

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

terça-feira, 30 de agosto de 2011

devaneios de agosto.

Agosto de 2011, Brasília - DF. Tempo seco, umidade muito baixa. Volta às aulas. Matérias, textos, aulas, pessoas. Desânimo. Incluir matéria, retirar matéria. Dilemas. O que fazer? Não sinto mais o mesmo. Decepção. Perdas, ganhos. Decisões. Pensamentos. Dor de cabeça - quase eterna. Não pensar. Boca rachada. Alergia atacada. Corpo mole. Conflitos internos, externos. Política. Dúvidas. Desmotivação. Correria louca da vida, de pessoas, de acontecimentos. Cansei!

E continuo sem conseguir me mover. Não sei se é o tempo, se sou eu. Ou se é uma mistura doida disso e de outras coisas....



Leve o mundo,
que eu vou já.
(mas não me espere!)

Paciência - Lenine.

Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede um pouco mais de alma
A vida não para...

Enquanto o tempo acelera e pede pressa,
eu me recuso faço hora, vou na valsa
A vida é tão rara...

Enquanto todo mundo espera a cura do mal
e a loucura finge que isso tudo é normal
Eu finjo ter paciência...

O mundo vai girando cada vez mais veloz
A gente espera do mundo e o mundo espera de nós
Um pouco mais de paciência...

Será que é tempo que lhe falta para perceber?
Será que temos esse tempo para perder?
E quem quer saber?
A vida é tão rara...

[...] Eu sei, a vida não para
A vida não para...

Sinto, penso e escuto. Me calo.

sábado, 27 de agosto de 2011

Gerald de Palmas - Dans une larme.


Dans une larme, tout l'univers
Une larme, au goût amer,
Une larme, pour oublier...


C'est la chanson du moment!


quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Nasce Paulo Leminski.

24 de agosto de 1944, nasce Paulo Leminski.

Bom dia, poetas velhos.
Me deixem na boca
o gosto dos versos
Mais fortes que não farei.

Dia vai vir que os saiba
tão bem que vos cite
como quem tê-los
um tanto feito também,
acredite.
[P. Leminski - Poetas Velhos ]

Mosaico de Cida Carvalho, paranaense residente no Distrito Federal. Imagem do site Mostra Musiva de Brasília



Inspiração!

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Para começar a semana...

Nossa, a minha segunda- feira nunca foi tão desejada... (calma lá!), mas também, com três showzaços gratuitos na Villa Lobos... com o grupo brasiliense AQuattro - Dudu Maia no bandolim, Pedro Vasconcellos no cavaquinho, Valerinho no pandeiro e Fernando César no violão 7 cordas, mandando o melhor do Choro (e misturas brasileiras), repertório com músicas autorais e 'clássicas' do Choro. Logo depois, Jaime Ernest Dias acompanhado de músicos brasilenses, com uma espécie de jazz brasileiro, super inovado. E o 3º show (e mais esperado), de Yamandu Costa, violonista e compositor brasileiro, um dos melhores (diga-se de passagem!), mandando muito - estou ainda sem ar e nas nuvens!

Aiai, não tem nem como começar mal a semana, o que a música não faz, hein?! Me sinto renovada e (mais do que) preparada para 'enfrentar' esta semana.

Uma "amostra grátis" de Yamandu Costa:



Uma ótima semana a todas/os!

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Foo Fighters - Walk


Learning to walk again
I believe I've waited long enough
Where do I begin?
Learning to talk again
Can't you see I've waited long enough
Where do I begin?

Esta música é a última faixa do álbum "Wasting Light" - novo CD do Foo Fighters (para baixar o álbum, é só clicar no nome sublinhado). Eles exibiram o show de lançamento do CD pela internet - Live On Letterman: Foo Fighters in concert from the Ed Sullivan Theater on April 12, 2011.
Não canso de escutá-lo - adorei o CD! E parece que a cada vez que escuto, gosto mais...
Baixem (e escutem) o CD, e vejam o show também que está disponível na internet (só clicar em Live on Letterman aí de cima).

Fica a dica!

sábado, 13 de agosto de 2011

El Deseo de Almodóvar.


O cinema não é somente um refúgio,
mas também um espelho
no qual se projeta seu futuro.
A sala de cinema é o refúgio
dos solitários...

uma paixão!

terça-feira, 15 de março de 2011

...

Neste momento, queria com palavras poder confortar cada coração desolado, despedaçado... amenizar esta dor, este buraco que ficou... mas não encontro palavras, não consigo dizer, não há o que dizer... só sentir, sentir, sentir... sinto!
E como sinto...

quinta-feira, 10 de março de 2011

Trecho: Chico Buarque

E se, de repente,
a gente não sentisse a dor que a gente finge
e sente.
Se, de repente,
a gente distraísse o ferro do suplício
ao som de uma canção...

Canta,
canta uma esperança.
Canta,
canta uma alegria.
Canta mais...


Fantasia de Chico.

quarta-feira, 9 de março de 2011

Dia Internacional das Mulheres, dia de luta!

[08/03/2011]

Parabéns a todas nós mulheres!

Até que todas as mulheres sejam livres,
a luta não pode parar!


sexta-feira, 4 de março de 2011

Ó paí ó...

Terrinha de todos os Orixás, lá vou eu!!!


Beijos aos foliões e aos nem tanto assim!
Ótimo feriado, ótimo Carnaval!

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Ên-fra-ses

Apaixonar-se por si,
não tem explicação!

Sinto até vontade de me apaixonar por alguém,
só para compartilhar esta paixão.

(calma! não faço questão de ser por agora)

Étrange - DobaCaracol avec Christophe Mali


J'ai le feu du volcan, l

a chaleur du désert,

la saveur de la terre, l

a lueur d'une lune claire.

Je n'ai rien que dans le coeur,

l'immensité du ciel ouvert.

J'ai la fraicheur d'une riviere, l

a colère du typhon.

J'ai l'amour d'une mère, l

es tourments des 4 vents.

Comme il tombent comme il tombent les flocons de l'hiver,
ils s'entassent dans ma tete comme mes contradictions
et mes perles d'amour dans un écrin de poussière...



Adorei a sugestão da Letícia, muito boa música. Super agradável de se ouvir. Sem contar que a letra também é ótima.

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Paixão fora e dentro de campo - O fenômeno!

Imagens falam mais que mil palavras, mil palavras não seriam capazes de expressar tudo que este cara, Ronaldo - O Fenômeno, representou e representa para o Futebol MUNDIAL!
Mal me entendia direito por gente, e já via Ronaldo brilhando... !
Vai deixar saudade...




Parabéns, Ronaldo! Sinto-me muito lisonjeada por ter te visto jogar!
Com certeza, um dos melhores jogadores que vi jogar, quiçá o melhor!

Paixão fora e dentro de campo

Já amei. Já odiei. Já gritei e às vezes choro vendo a bola correr no meio-campo. Nem mesmo das mais subalternas emoções da alma humana, o futebol tem me poupado o coração. Eu já sofri tanto vendo a bola correr no meio-campo que nem posso me queixar se um dia a morte vier me buscar no momento de um gol.
Luis Carlos Miéle

FUTEBOL:
Alguns chamam de doença, besteira, outros não se importam, são indiferentes. Entre os torcedores, há os que gritam, choram, morrem, vivem pelo time. Também há os momentâneos, torcem só quando o time está em alta, está bem no campeonato ou deu aquela goleada. Eu me encaixaria no 1º tipo de torcedor, e até diria mais, sou a "torcedora-fanática-louca-chata-bagarai". Chego a ser insuportável com tanto fanatismo... mas enfim.

Contra-há-argumentos:
DETESTO o tal moralismo, o tal politicamente isso e aquilo. Calma! Vou me explicar. O assunto é futebol, aí sempre tem o cujo que vem dar aquela lição de moral, aquele discurso moralista de que o futebol aliena, que as pessoas só se importam com isso, e que pouco importa qual é o jogo, time, campeonato... não vejo isso, não gosto, não quero, não pode...! Calma lá, MEU bem! A grande paixão do brasileiro e brasileira é o futebol, é o que dizem, e concordo. As torcedoras e torcedores ficam revoltadas(os) quando o time perde, quando o Brasil é desclassificado, quando o time joga mal... inclusive, a revolta é tamanha que eles vão às ruas (estádios, locais de treinamentos, etc) para expor toda sua indignação. Quando ganha, a felicidade. Porém isso não acontece com a política, Sarney foi eleito, novamente, presidente do Senado. E cadê os milhares nas ruas mostrando sua indignação? Pois é, concordo bastante com isso. Só futebol não adianta, meu povo brasileiro (Maldito nosso jeitinho brasileiro de ser... rsrs)! Mesmo assim não dá para colocar tudo num bolo doido. Quem gosta de futebol não se importa com outras coisas, quem se importa não pode se alienar a este tipo de coisa (besteira!). Ou tem que torcer para um time "de luta" (time de luta? Melhor ver boxer então. Time não é, mas, pelo menos, é luta, de fato. rs Enfim...). Precisamos de algo ilusório (não sei bem se seria esta palavra), algo que passe do pensar, do racional, que deixe o sentimental falar bem mais alto, o coração quase sair pela boca... Ah, eu adoro ver a bola rolando em campo, centenas e centenas de pessoas em volta (ou em suas casas, bares...) concentradas, ansiosas, enlouquecidas, felizes, aflitas por verem o time ali. Eita, paixão! E a euforia, depois daquele jogo, daquele campeonato. "Poxa, somos campeão" - felicidade que parece eterna, e é, na memória de cada torcedora e torcedor. São jogos, lances, gols e jogadores para toda a vida!

Exploração, mídia, elitismo, ilusão (parte racional):
É lamentável a situação de diversos times, estádios e campeonatos do Brasil. Além da bipolarização que existe, ainda, entre os times do Rio e SP. Jogadores novos já com ofertas milionárias fora do Brasil. Craques cada vez menos craques... e só na cocaína mesmo. Jogando por dinheiro, cadê a raça, a garra? A desvalorização de jogar em times brasileiros, preferem times de 3ª divisão de fora a 1ª divisão dos daqui. Rios e rios de dinheiro nas negociações de um jogador, o salário absurdo de alguns... dependendo, até parece um leilão entre clubes e patrocinadores para ver quem leva a "raridade" (quem dá mais? quem dá mais?). A máfia do futebol. Enfim... lamentável! (Essas coisas me deixam triste de verdade... dão até desânimo)

A loucura pós-vitória:
Acho mais do que válida a euforia de cada torcedora e torcedor pelo seu time, principalmente, depois daquele jogo, daquele título... tudo passa... Mas antes que passe, vamos nos permitir comemorar como se nunca fosse passar. Até porque tudo um dia passa!

"Orgulhosa" de ser brasileira:
Apesar dos pesares, torço sempre para o Brasil, SEMPRE mesmo. Não consigo torcer contra (já até tentei).
Ps.: Ah, só para constar aqui, não torço para o Corinthians e nem para o Flamengo, nem quando jogam com times de fora. Por quê? A rivalidade, rivalidade...meu bem! rsrs

Papinho de pó-de-arroz:
Sabe, a cada dia que passa tenho a certeza de que não escolhi meu time, e sim que ele me escolheu: sou tricolor do verde-grená-branco, e com muiiiito orgulho!!!!! (:



É, o futebol é isso aê...!

"Atoladinha" por Tom Zé

Tom Zé explicando porque o refrão de "atoladinha" é um "metarrefrão microtonal e polissemiótico":



Tom Zé é genial... um dos melhores e mais completos músicos do BRASIL, do mundo!

(:

Trecho: Caio Fernando Abreu

Você lê e sofre. Você lê e ri. Você lê e engasga. Você lê e tem arrepios. Você lê, e a sua vida vai se misturando no que está sendo lido.

Caio Fernando Abreu

Trecho: Chico Buarque

No anfiteatro, sob o céu de estrelas
Um concerto eu imagino
Onde, num relance, o tempo
alcance a glória
E o artista, o infinito




Eeee, Seu Chico!

"El machismo es violencia"

"“Reacciona, Ecuador el machismo es violencia” es una campaña dignificante, positiva en la que participan y se involucra a los hombres. El principal camino para erradicar la violencia es lograr un cambio profundo en la construcción de las relaciones entre mujeres y hombres promoviendo la igualdad de derechos, el respeto como seres humanos y el compromiso con la vida"



Muito boa esta campanha!

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

"Ya no sé qué hacer conmigo" - El cuarteto de nos



Y oigo una voz que dice sin razón
"Vos siempre cambiando, ya no cambiás más"
y yo estoy cada vez más igual
Ya no se que hacer conmigo.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

"Não deixe o samba morrer..."

Glória a quem trabalha o ano inteiro em mutirão
São escultores, são pintores, bordadeiras
São carpinteiros, vidraceiros, costureiras
Figurinistas, desenhistas e artesão
Gente empenhada a construir a ilusão.
(Samba enredo de 1984 da Unidos de Vila Isabel)

Lamentável!
Lamento, lamento!
Aqui vai a notícia, com o aperto no coração: